"Septivium" designava, durante a Idade Média, a totalidade das artes liberais.Constituído pelo "Trivium" e pelo "Quadrivium".Implica que nenhum assunto será vedado.Relembra também as nossas raízes Cristãs.

30
Mar 10

“A Mente Virtual”, Roger Penrose.

A tese principal que norteia o livro será, segundo o próprio Penrose, a tentativa de refutação da concepção IA forte. Não obstante, isso é pouco importante, sendo que o espaço a ela dedicado reduz-se a algumas páginas no início e mais algumas no final. Este livro é uma apresentação da física moderna difícil de ultrapassar na sua minúcia e profundidade. A tal ponto que dificilmente pode ser qualificado como um mero livro de divulgação. Para um leigo, como eu, está pejado de partes indigestíveis, mas o ponto aqui é que creio que demonstra o quanto a tese tipleriana é, em grande parte, ortodoxa. Aliás, podemos considerar que parte da heterodoxia de Tipler reside na sua total ortodoxia. Este aparente paradoxo pode ser explicado notando que certas teses que o consenso supõe somente temporárias e aproximações a uma teoria mais fundamental ainda por descobrir, são tidas por Tipler como absolutamente verdadeiras. Um exemplo será o “Modelo Padrão de Física de Partículas”.

 

Se o leitor se quiser aventurar ainda (?) mais nas profundezas da física moderna, leia “The Road to Reality”, também de Penrose. Sem tradução para português. Lembra-se que acima escrevo que “A Mente Virtual”era difícil de ultrapassar na apresentação técnica que faz da física moderna? Este livro realiza o feito.

 

 

 

Leia de Sebastião Formosinho e Oliveira Branco a série de 3 livros, composta por,

 

“O Brotar da Criação”. Na primeira parte Sebastião Formosinho apresenta, em profundidade, a Teoria do Ponto Ómega, que é sujeita a uma crítica minuciosa na segunda parte por Oliveira Branco.

 

“A Pergunta de Job”.

 

 

“O Deus que Não Temos”.

 

 

 

 

De Paul Davies, “Deus e a Nova Física”. Para o caso deve destacar os primeiros e os últimos capítulos. A primeira parte apresenta, na perspectiva de Davies, contribuições da Física para a elaboração dos argumentos tradicionais, casos do ontológico, cosmológico e físico-teleológico. A última parte concebe, nas palavras do próprio Davies, um “Deus Natural”, próximo do “Evolving God” tipleriano.

 

 

 

Também de Davies “The Mind of God”, em particular o 7º capítulo, “Why is the World the Way It Is”,

 

 

 

“O Jackpot Cósmico” e

 

 

 

“Superforça”.

 

 

 

(cont.)

publicado por J às 11:36

Março 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26

28
29
31


mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO